SPROWT ARTICLE | Tatiana Alves

Tatiana scaled 1

Contribuir para um ecossistema empreendedor inclusivo e vibrante é um papel de todos

O ecossistema empreendedor moçambicano, à semelhança do africano, tem vindo a crescer e tem mulheres como um dos motores deste crescimento. Segundo dados de Agosto de 2022 do World Economic Forum, 58% dos empreendedores africanos são mulheres, um dado expressivo, considerando que as estatísticas do Banco Mundial apontam para uma prevalência de 33% de empreendedoras e 77% de homens no mundo. Embora haja um crescente número de mulheres empreendedoras, o mesmo não se traduz na contribuição para o GDP do continente, que é de apenas 13% (World Economic Forum, 2022).

O perfil da mulher empreendedora moçambicana é diverso, inclui desde a mamana do mercado informal, que empreende de forma empírica e que mesmo assim consegue crescer num mercado cheio de desafios, até à empreendedora, que se desafia constantemente, vai atrás de conhecimento (técnico ou de gestão), procura inovar, estruturar e adaptar o seu negócio aos desafios do mercado. Contudo, estas mulheres partilham desafios comuns: para além das responsabilidades do negócio, cumprem os seus obrigações sociais (são mulheres, esposas, mães e filhas; acumulam muitas vezes outras actividades: são estudantes, profissionais, trabalhadoras por conta de outrem, provêm para as suas famílias, e enfrentam os obstáculos específicos do seu meio seja ele rural ou urbano). Mesmo diante de tantos papéis, estas se entregam ao empreendedorismo e tentam dar a volta aos desafios de conhecimento, acesso a mercado, desconhecimento de legislação e burocracias e acesso a financiamento.

O papel de organizações como a ideiaLab, é facilitar essa jornada e apoiar na redução dos desafios existentes no ecossistema. Nos últimos cinco anos, 46% do total de 6.147 empreendedores capacitados, foram mulheres. Essas mulheres, contribuem de forma expressiva para o impacto que queremos causar:

● 80% dos negócios continuaram activos 1 ano após a capacitação, mostrando que os conhecimentos que obtêm são válidos para assegurar o sucesso das suas iniciativas

● 45% de empreendedores capacitadas criaram novos empregos, contribuindo para aumento e melhoria da empregabilidade

● 59% das empreendedoras tiveram um aumento de receita, contribuindo de forma directa para a melhoria da sua condição de vida, das suas famílias e colaboradores.

A 19 de Novembro, celebra-se mundialmente o Dia da Mulher Empreendedora, para o qual sou embaixadora Lusófona. Em 2022, as celebrações tiveram como lema “Escolha Negócios de Mulheres”, um chamado para um maior apoio a negócios de empreendedoras através da compra directa, investimento e facilitação de burocracias para o seu crescimento no mercado. Escolher negócios de mulheres é lutar activamente para aumentar as chances de crescimento destas através de programas inclusivos e que as preparem para um mercado altamente competitivo.

Actualmente, de acordo com o World Bank, mulheres empreendedoras fazem 35% menos volume de vendas do que os homens. Esta disparidade pode ser reduzida se todos assumirmos o compromisso de capacitar mais mulheres empreendedoras a nível de conhecimento e ferramentas de gestão de negócios, influenciar na revisão de políticas de facilitação do empreendedorismo (em particular o empreendedorismo feminino) e, apoiar negócios de mulheres, sobretudo através da compra dos seus produtos e serviços e criação de espaços de partilha e troca de experiências entre diferentes partes do ecossistema. Os programas da ideiaLab têm a componente da criação de espaços de Network como prioridade pois, acreditamos que esses espaços de aprendizagem mútua permitem o crescimento das equipas directamente capacitadas e também do ecossistema no geral.

A jornada de transformação destes dados é um desafio assumido pela ideiaLab que tem programas alguns programas exclusivamente para mulheres como o FEMTECH – programa da ideiaLab, focado na aceleração de negócios de mulheres a partir dos 25 anos, com negócios no mercado há pelo menos 2 anos; e várias outras iniciativas focadas em apoiar equipas de PMEs a desenhar acções concretas de adaptação e remodelação para prosperar num ambiente competitivo e volátil ou mesmo estimular o pensamento empreendedor e tirar ideias do papel e transformá-las em acções concretas que permitam criar impacto e construir um negócio compotencial. Para além destas iniciativas, incentivamos a participação de mulheres emtodos os nossos programas, mantendo sempre uma meta de inclusão de 50% demulheres para criar um ecossistema com maior paridade de oportunidades. Os frutos deste investimento já estão a ser observados dentro dos nossos projectos e programas em que percebemos que quando criamos oportunidades, estas mulheres crescem, fazem parcerias entre si e com actores importantes e nos permitem transformar, de forma positiva, as estatísticas sobre o empreendedorismo em Moçambique, África e no Mundo.

Temos observado, uma criação de referências no nosso mercado. Mulheres empreendedoras locais têm vindo a transformar vidas e mostrar o potencial das suas ideias e negócios. Só em 2022, testemunhamos a entrada da marca Black Khakhela, fundada por Carmen Miral, para o catálogo da Amazon, um feito que foi fruto de grandes investimentos para abrir portas que se encontravam até agora fechadas. Vimos a BioMec, negócio fundado por Marta Vánia Uatela, ser destaque no Global StartUp of the Year e produzir próteses e cadeiras de roda usando plástico retirado dos oceanos moçambicanos, ampliando o horizonte criativo e de sustentabilidade a ser almejado por negócios locais e não só. Ainda em histórias de sucesso, testemunhamos a chegada da XIBASSILE, startup com equipa maioritariamente de mulheres, chegar à final global do ClimateLaunchpad, a maior competição de negócios verdes do mundo.

Ao fim do dia, fica claro que só temos como criar um ecossistema que floresce, cresce e abre portas para que mais pessoas explorem o seu potencial empreendedor e transformam desafios em oportunidades, se investirmos no potencial imensurável de mulheres empreendedoras e escolhermos fazer negócios
com mulheres.

Sobre a ideiaLab

A IdeiaLab é uma organização de apoio ao empreendedorismo, fundada em 2010
por duas empreendedoras moçambicanas, com o objetivo de inspirar
empreendedores, apoiar o desenvolvimento de startups, acelerar o crescimento das
Micro, Pequenas e Médias empresas.

Impulsionamos o empreendedorismo através de projectos e programas direcionados
de incubação, aceleração, capacitação, business advisory e ligações para acesso
ao mercado considerando as diferentes fases da jornada empreendedora:
estimulação, activação e aceleração.

Referências:

● World Economic Forum (2022), How Female-led Startups can transform Africa https://www.weforum.org/agenda/2022/08/how-female-led-start-ups-can-transform-africa/

● Women Entrepreneurship Day (2022), Choose Women https://www.womenseday.org

● World Economic Forum (2022), Here´s what women´s entrepreneurship looks
alike around the world https://www.weforum.org/agenda/2022/07/women-entrepreneurs-gusto-gender/